O Planeta que Chove Ferro – WASP-76b

Imagine a chuva de fim de tarde…

A descoberta

Com o auxílio do Very Large Telescope do ESO (Observatório Europeu do Sul), pesquisadores descobriram a existência de um exoplaneta gigante ultra-quente. O exoplaneta está localizado a cerca de 640 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Peixes.

Como assim, esta chovendo ferro?

Bem, é isso mesmo que você está imaginando – ferro!

ferrofluido-fluido-magnetico-ferro-fluido-D_NQ_NP_561501-MLB20330191474_062015-F

No WASP-76b os dias são tão quentes que o metal existente no planeta é facilmente fundido, pois do lado diurno do planeta as temperaturas chegam a cerca de 2400ºC.

Podemos dizer que este planeta é chuvoso ao final da tarde, a diferença é que a chuva é de ferro,”  – David Ehrenreich – professor na Universidade de Genebra, Suíça.

O exoplaneta demora tanto tempo a completar uma rotação em torno do seu eixo como a dar uma volta em torno de sua estrela, portanto dizemos que ele encontra se em rotação sincronizada (assim como a nossa Lua, que possui uma face oculta). Dessa forma, o lado noturno do exoplaneta encontra se sempre na escuridão.

Em contrapartida o lado diurno recebe milhares de vezes mais radiação da sua estrela do que a Terra recebe do Sol, e por isso encontra se tão quente que as moléculas se separam em átomos e os metais, tais como o ferro, evaporam para a atmosfera. A extrema diferença de temperatura entre os lados diurno e noturno resulta em ventos vigorosos que levam o vapor de ferro do lado diurno ultra quente até ao lado noturno mais frio, onde as temperaturas diminuem para cerca de 1500º Celsius, fazendo com que o metal condense e, adivinhem?  ih, choveu… precipite!!!! 😀

eso2005a
Imagem ilustrativa do exoplaneta WASP-76b.

Os pesquisadores descobriram que as diferenças existentes entre os lados diurno e noturno do planeta vão além da temperatura, pois sua estrutura química também é diferente.

Com o auxílio do instrumento ESPRESSO montado no VLT do ESO, situado no deserto chileno do Atacama, os astrônomos identificaram pela primeira vez variações químicas num planeta gigante gasoso ultra quente.

ESPRESSO instrument achieves first light with all four Unit Tele
Instrumento ESPRESSO montado no VLT do ESO, situado no deserto chileno do Atacama

Este resultado foi obtido em setembro de 2018, a partir das primeiras observações científicas do ESPRESSO, pelo consórcio científico que construiu o instrumento: uma equipe de Portugal, Itália, Suíça, Espanha e ESO.

Aqui na Terra costumamos dizer que quem está na chuva é para se molhar, já no WASP-76b onde chove ferro, quem está na chuva é para se ferrar! KKKKK… (ok, piada de tiozão do pavê)

blur color conceptual cube

Mas diz aí, o que você usaria para se proteger da chuva neste planeta? Quero ler os comentários! 😉

 

Fonte: eso.org

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s